A FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso), criada no dia 6 de dezembro de 1971, possui mais de 30 anos de experiência no ensino superior de Turismo, sendo a primeira faculdade do RJ a ter o curso de Turismo e a segunda do Brasil.

Está localizada em Botafogo, bairro com grande valor histórico para a cidade, já que a história do bairro se confunde com a própria história da fundação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheça abaixo um pouco da história do bairro e alguns de seus atrativos.

Botafogo

Botafogo é um dos bairros mais antigos da cidade do Rio de Janeiro. Estácio de Sá fundou a Cidade do Rio de Janeiro, aos pés do Pão de Açúcar em 1565, no morro “Cara de Cão”, nessa época, o bairro da Urca ainda não existia. Apesar da data de sua fundação, o bairro só passou a se chamar Botafogo após 40 anos. Possui uma área de 4,84 km², sua população é de 82.890 habitantes, conta com 119 ruas, sendo delimitado pelos bairros do Flamengo, Laranjeiras, Humaitá, Urca, Leme e Copacabana.

A história do bairro começa com a vinda da Corte portuguesa para o Brasil em 1808, logo depois, diversos nobres e comerciantes se mudaram para o local. A partir de meados do século XIX começa de fato a integração de Botafogo na malha urbana da cidade, onde a população local tornou-se cada vez mais numerosa levando a sua consolidação como bairro nas três últimas décadas daquele século.

Casa Rui Barbosa: Rui Barbosa morreu aos 73 anos, em 1923. Sua vasta biblioteca, com mais de 50 mil títulos, pertence à Fundação Casa de Rui Barbosa, em sua antiga residência no Rio. É uma instituição pública federal, vinculada ao Ministério da Cultura, e oferece um espaço reservado ao trabalho intelectual, à consulta de livros e documentos, e à preservação da memória nacional. O local possui um auditório onde ocorrem atividades relacionadas a dança, música, literatura, teatro e cinema. Endereço: R. São Clemente, 134 – Botafogo. O Jardim fica aberto diariamente das 8 às 18h e o Museu de 3ª a 6ª feira, das 10 às 17h30, aos sábados, domingos e feriados das 14 às 18h. A taxa de ingresso é R$ 2,00. Menores de 10 anos e maiores de 65 anos não pagam ingresso. Entrada franca aos domingos.

Casa Rui Barbosa

Casa Rui Barbosa

 

Museu do Índio: O Museu do Índio foi criado, em 1953, no Serviço de Proteção aos Índios – SPI, agência do Governo encarregada de dar assistência aos índios no Brasil. Em 1967, o Governo militar resolveu reunir o SPI, o CNPI e o Museu em um único órgão, a Fundação Nacional do Índio – FUNAI, onde a instituição está inserida até hoje. Tem como objetivo contribuir para uma maior conscientização sobre a contemporaneidade e a importância das culturas indígenas. Como instituição de preservação e promoção do patrimônio cultural indígena, empenha-se em divulgar a diversidade existente e histórica entre centenas de grupos indígenas brasileiros. Atualmente, o Museu do Índio é uma importante instituição de pesquisa sobre línguas e culturas indígenas. Tem sob sua guarda documentos relativos à maioria das sociedades indígenas contemporâneas, constituídos de quinze mil, oitocentos e quarenta peças etnográficas e quinze mil, cento e vinte uma publicações nacionais e estrangeiras, especializadas em etnologia e áreas afins. Seus diversos Serviços são responsáveis pelo tratamento técnico de 76.821 registros audiovisuais e 833.221 documentos textuais de valor histórico e contemporâneo. Endereço: Rua das Palmeiras. Horário de visitação: Segunda a Sexta de 10h às 17h.

Museu do Índio

Museu do Índio

Museu Villa Lobos: Foi criado em 1960, ano seguinte à morte do compositor, por inspiração de sua segunda mulher, Arminda Neves d’Almeida, com a finalidade de preservar o seu acervo e divulgar a sua obra. Sua finalidade é preservar o seu acervo e divulgar a obra do músico Villa Lobos, como por exemplo, partituras, documentos e objetos. O Museu também tem desenvolvido diversos projetos nas áreas cultural e educativa, através, entre outros, da edição de livros e discos, da realização de festivais, concursos internacionais e concertos didáticos, além do atendimento à pesquisa. Endereço: Rua Sorocaba, 200 – Botafogo. Horário de visitação de segunda a sexta-feira, de 10h às 17 horas.

Museu Villa Lobos

Museu Villa Lobos

Museu dos Teatros: a criação do Museu dos Teatros do Rio de Janeiro nasceu em 1942 quando o pintor Eliseu Visconti (1867 – 1944) doou ao município os estudos por ele realizados para a decoração do Theatro Municipal. Tem a missão de preservar, recolher, pesquisar, registrar, divulgar e expor o acervo relativo à história e à memória dos teatros do Estado do Rio de Janeiro. Parte expressiva do acervo é constituída por objetos da história do Theatro Municipal, por exemplo, os programas das apresentações, os figurinos e elementos de cena de espetáculos lá apresentados e os estudos para sua decoração. Após a desvinculação do Museu do Theatro Municipal, a coleção passou a abrigar doações pessoais de artistas, e de outros teatros do Rio de Janeiro, fato que diversificou sua formação. Hoje, o Museu dos Teatros possui cerca de trinta mil peças que contam a história das representações artísticas, como dança, ópera, teatro e música. Atualmente encontra-se fechado para visitação por motivo de obras. Endereço: Rua São João Batista, 103 -105 – Botafogo.

Museu dos Teatros

Museu dos Teatros

Baía de Guanabara: Em 1° de Janeiro de 1502, quando os exploradores portugueses chegaram aqui, confundiram a Baía com a foz de um rio. Assim surgiu o nome Rio de Janeiro, primeiro dado à Baía e depois ao estado e à sua capital por eles banhados. É ladeada pelas cidades do Rio de Janeiro e de Niterói. A Baía está repleta de ilhas: a maior delas, a Ilha do Governador com 32 Km², seguida da Ilha de Paquetá com aproximadamente 1 Km² de extensão. As ilhas foram inicialmente locais de fortificação militar, zonas de produção de alimentos e colônias de pesca. A Marinha sempre teve importantes instalações nas ilhas, como: a de Villegagnon que abriga a Escola Naval; a Ilha das Cobras com o Arsenal de Marinha; a Ilha Fiscal onde atualmente se encontra um Centro Cultural, mas que já foi sede do Centro Oceanográfico da Marinha e a Ilha das Enxadas ocupada pelo Centro de Treinamento da Marinha. Atualmente a Baía é imprópria para banho devido a sua alta poluição.

Baía de Guanabara

Baía de Guanabara

Fontes (fotos):

Casa Rui Barbosa. Disponível em: http://roteirinhocarioca.com.br/2012/01/um-domingo-na-casa-de-rui-barbosa/

Museu do Índio. Disponível em: http://www.sescrio.org.br/programacao/17/06/12/o-melhor-do-rio-com-o-sesc-museu-do-indio

Museu Villa Lobos. Disponível em: http://www.lauratour.com/museums-and-churches/?lang=en

Museu do Teatros. Disponível em:  Google maps